Sala Edgar Cardoso e as Pontes do Douro

“Em todos os rios há um sítio que foi feito para pôr uma ponte. É preciso encontrá-lo.Edgar Cardoso

Edgar António de Mesquita Cardoso nasceu no dia 11 de Maio de 1913.  Viveu a infância no Porto, na Beira Alta e em Lisboa. A partir dos 8 anos  foi viver para o Porto  onde fez o Liceu Alexandre Herculano. As férias de família eram passadas em Resende.

Após terminar o ensino secundário, inscreve-se na Faculdade de Ciências do Porto nos preparatórios de Engenharia. Posteriormente frequenta os cursos de Engenharia Civil e Electrotécnica na Faculdade de Engenharia. No último ano teve que escolher a licenciatura que queria completar, optando por Engenharia Civil. Em 1937 licenciou-se com a média final de 17 valores. Efectuou estágio regulamentar na JAE, classificado com 19 valores.

Casou no dia 7 de Junho de 1941 com Marguerite Congeol. Faleceu no dia 5 de Julho de 2000.

Distinções recebidas:

Oficial da Ordem Militar de Cristo;

Grande Oficial da Ordem de Santiago da Espada;

Professor “Honoris Causa” pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, por proposta conjunta das Faculdades de Arquitectura e de Engenharia;

Investigador Honorário do Laboratório Nacional de Engenharia Civil;

Prémio de investigação Manuel Roch do LNEC;

Medalhas de ouro da cidade do Porto e da cidade da Figueira da Foz;

Medalha póstuma da vila de Resende;

Membro do Conselho Superior de obras Públicas e Transportes;

Sócio efectivo da Academia das Ciências de Lisboa;

Vogal do antigo Conselho do Fomento Ultramarino.

O Engenheiro

Eu não faço uma ponte igual à outra, cada obra é um momento de inovação e de busca de novas soluções mais racionais e económicas”. Edgar Cardoso

Em Janeiro de 1938 Edgar Cardoso inicia a sua actividade como Engenheiro Civil na JAE. Paralelamente, exerce actividade privada, inicialmente no Gabinete do Plano de Urbanização da Costa do Sol e, a partir de 1944, no seu próprio Gabinete.

Para Edgar Cardoso, na prática da Engenharia Civil aspectos primordiais são o engenho e o conhecimento do comportamento dos materiais e das estruturas, através da experimentação. Os cálculos matemáticos, na sua óptica, são importantes para a confirmação da viabilidade e da segurança de uma obra, após a fase de concepção da mesma.

O trabalho de Edgar Cardoso foi pautado pela insatisfação face ao conhecimento adquirido e pela procura incessante de novas soluções. Questionou princípios, regulamentos e normas. Não só gostava de descobrir o seu próprio método de investigação, como desenvolvia os instrumentos de comprovação da eficácia e da segurança das estruturas, adaptava os materiais aos seus objectivos e inventava novas técnicas construtivas.

Edgar Cardoso distinguiu-se como um dos maiores Engenheiros Portugueses do século XX. Foi autor de cerca de 500 estudos e projectos de estruturas em Portugal, Angola, Antiga Índia Portuguesa, Brasil, China, Costa Rica, Guiné Bissau, Macau, Moçambique, Nigéria, Timor e Venezuela. Concebeu e realizou projectos de novas pontes bem como projectos de recuperação e beneficiação de pontes já existentes.

O Professor

Em 1951 Edgar Cardoso passa a integrar o corpo docente do Instituto Superior Técnico de Lisboa, como Professor Catedrático. O seu trabalho de tese intitulou-se “Alguns métodos de Cálculo Experimental e sua Aplicação ao Estudo de Pontes”.

Em 1974 no período conturbado do pós-25 de Abril, foi afastado da escola sendo reintegrado cinco anos depois, por intervenção do Presidente da República, General Ramalho Eanes. Tendo recusado receber os salários dos anos em que esteve afastado, essa verba reverteu para a Fundação criada no IST, que veio a ser chamada de Fundação Edgar Cardoso. Jubilou-se em 1983. Edgar Cardoso leccionava as matérias com entusiasmo e rigor, exigindo aos alunos estudo, dedicação e reflexão.

O Inventor

O que não faço com a cabeça faço com as mãos.” Edgar Cardoso

O carácter experimental da obra de Edgar Cardoso está associado à grande capacidade inventiva do “Mestre”, como era tratado pelos seus colaboradores. Os seus conhecimentos de electrónica e de mecânica e a sua habilidade de mãos aliados à sua imaginação e genialidade, tornaram possível o desenvolvimento de um trabalho que se caracterizou pela inovação e experimentação. Os testes e ensaios concretizados em modelos reduzidos e em obra, foram muitas vezes realizados com recursos às invenções que ele próprio concebia e executava. Vários foram os aparelhos de medição e registo inventados e adaptados pelo Professor e pela sua equipa. Se era necessário um aparelho que não existia, inventava-o. Se existia, adaptava-o e melhorava-o.

Incansável na busca da perfeição e de novas possibilidades, insatisfeito com soluções padrão, Edgar Cardoso foi Engenheiro na verdadeira acepção da palavra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *